terça-feira, 28 de junho de 2016

Sardinhada



 Emoções fortes no jogo Portugal/Croácia

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Soldados do Ultramar

Ismael Soares e Joaquim Martins (natural do Rochoso)
Ambos fizeram parte da mesma Companhia e lutaram na Guerra Colonial de 1961 a 1963 em Angola.
Um dia destes, faremos um trabalho de recolha das suas experiências na guerra.

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Momentos

Arlete Conde; Graça Soares; Amélia Gonçalves

terça-feira, 21 de junho de 2016

segunda-feira, 20 de junho de 2016

quarta-feira, 15 de junho de 2016

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Caminhada do "Tri"

 Uma parte do grupo no final
 Um jogo de futebol improvisado

quinta-feira, 9 de junho de 2016

terça-feira, 7 de junho de 2016

Afazeres agrícolas

Zé Albino
Depois das batatas serem semeadas, ou melhor, plantadas, é hora de a terra ser gradeada.

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Seminário do Fundão- centenário

No pretérito sábado, dia 28 de Maio, celebrou-se no Seminário do Fundão o centenário da sua fundação. Atarefado dia que começou com a recepção aos presentes, continuou com a Assembleia Geral anual dos Antigos Alunos antes da Eucaristia presidida pelo actual Bispo da Guarda e pelo anterior, D. António dos Santos. O merecido repasto antecedeu a inauguração do Museu (ainda em “construção”) do Seminário, culminando com a sessão solene dessas mesmas comemorações. Um dia marcado também pelo lançamento do livro “ Centenário Seminário do Fundão” em que tive a honra de colaborar. A apresentação é de Manuel Pereira de Matos com textos de: António dos Santos Pereira; João Mendes Rosa; João baldo; António Agostinho Homem; Francisco Pereira Barbeira; João Baldo; Manuel Pereira de Matos; António Agostinho Homem; Pe. Álvaro Terreiro; Pe. Bernardo Terreiro; João Fatela; Joaquim esteves Saloio; Joaquim José Tenreira Martins; José Barata; José Maria Mendes; Luís Filipe Gonçalves Soares; António Lourenço Marques; Jerónimo Monteiro; J. M. Monteiro. No final um registo fotográfico e um Memorial Onomástico com os alunos que passaram pelo Seminário desde 1915 até 2012, data dos últimas matriculas.
Como curiosidade, deixo aqui os nomes e os anos em que ingressaram no Fundão (e destes, vários houve que ingressaram também no Seminário da Guarda, como foi o meu caso) os originários de Vila Mendo e da Freguesia de Vila Fernando.

Vila Mendo: Manuel da Silva Gonçalves- 1969; Ismael terras Gonçalves- 1971; Rui de Jesus Silva- 1971; António Júlio da Corte Gonçalves- 1974; José Manuel da corte Gonçalves- 1975; Luís Filipe Gonçalves Soares- 1989. Vila Fernando: Joaquim Augusto Janela- 1915; José Pereira da silva- 1916; David Martins Pereira- 1918; José Gonçalves Carreira- 1935; José Agostinho pereira Martins- 1936; José Soares Calçada- 1938; José Joaquim Corte- 1940; José Júlio Pereira de Almeida- 1943; Júlio Mendes Gonçalves Pereira- 1949; Luís Manuel Martins Rebelo- 1957; Manuel Marques Martins Fernandes- 1960; Raúl Martins Fernando Rebelo- 1965; Eduardo Gonçalves Torre Martins- 1966; Marco Joaquim Terras da Silva- 1990; Bruno Filipe Rodrigues Pina Monteiro- 1991; Filipe Pina Tomé Monteiro- 1993; César Manuel Silva Vaz- 1996; Rui Miguel da Silva Marques 1998; Jorge Alexandre Azevedo Fernandes- 2004.
Se omiti algum ex-seminarista, as minhas desculpas.

terça-feira, 31 de maio de 2016

quinta-feira, 26 de maio de 2016

quarta-feira, 25 de maio de 2016

sexta-feira, 20 de maio de 2016

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Spot Vila Mendo 2016

Pode ouvir- se AQUI o spot de rádio que a passa na Rádio Motard FM, sobre o XII Encontro Motard, e por ela produzido.

terça-feira, 17 de maio de 2016

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Encontro(s) Motard- por Telmo Conde

Para muitos este evento começou por ser uma utopia! Condenado ao fracasso....para mim, para a Associação, e para muitos dos que estão a ler, não!
Agradeço desde já aos elementos da ACR (que me permitem) que daqui a 20 dias comece já a planear o XIII Encontro. Obrigado!
A responsabilidade aumenta, falo, ou melhor escrevo, em nome de 50 ou 60 pessoas.... os naturais e residentes nesta humilde aldeia! Sim, são estes que têm o dom e a sabedoria de receber, acolher e dar! Não é porque Vila Mendo é o centro do mundo, ou porque tem muitas motos, ou porque é bem pavimentada que, ano após ano, melhora e cresce, mas sim porque é especial, e em Maio, pelo menos, a romaria acontece... A arte de bem receber, tratar e cuidar é, a meu ver, o fator primordial para que o XIII Encontro Motard tenha lugar em Vila Mendo! Comparo sempre com o ano anterior, e apercebo-me que há sempre mudanças... E surge nesta fase uma questão pertinente... até quando ??!! Sim, esta questão merece toda a atenção e teima em pairar no ar... Há, por aqui, alguns elementos das camadas jovens que juram a pés juntos que gostam de motos... Não duvido...mas gostar só, não chega! Sacrifício, associativismo, camaradagem, partilha são coordenadas que nos trazem de pé e assim traçam o destino desta atividade promovida pela Associação Vila Mendo! Criticar é fácil, fazer nem por isso; errar é para alguns, os que fazem! O texto vai longo, mas muito curto para vos poder transmitir o que de facto é sentir e acima de tudo respeitar Vila Mendo e todos aqueles que, ano após ano, voltam... insistem e fazem história!
Em prol da Amizade prometemos voltar em 2017.
Boas curvas e nunca se esqueçam.
Máxima Liberdade. Máxima Responsabilidade.
                                                                                    Telmo Conde

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Gentes de Cá

Afonso; Sra. Ana Maria; Sra. Rosária

segunda-feira, 2 de maio de 2016

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Olhares de Vila Mendo


                                        Fotografia de Júlio Pissarra

sexta-feira, 22 de abril de 2016

A lareira

A lareira, a chaminé, a lenha, os cavacos, as giestas, as brasas, o calor. Os momentos. Os pensamentos… silenciosos… falados… realizados… inusitados…
O lume… símbolo da vida… chama eterna… que nos aquece… o coração. Ao seu redor, olhares cúmplices cruzam-se em conversas demoradas, compassadas, ardentes por vezes, como o ardor do lume que arde vagarosamente.
Noites frias convidam ao recanto da casa, ao recanto da cozinha. O lume. A lareira. Um canto, um espaço pequeno transformado na centralidade da casa, da família, da vida… Ali traçam-se planos para o amanhã, alcovita-se o ontem, entrelaçam-se sonhos de um futuro maior… sugere-se, debate-se, refila-se, silencia-se.
Olhares quietos perdem-se na finitude das chamas que teimam em consumir os últimos resquícios de um pau moribundo.
Olhares melancólicos deixam-se adormecer na imensidão das brasas incandescentes e… sonha-se um mundo… o mundo. Respira-se um tempo; respira-se o tempo… único, irrepetível, intransmissível…
                                                                                              Luís Filipe Soares

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Momentos

Zé Vieira; "Mac"; Júlio; Victor; Zeca

segunda-feira, 18 de abril de 2016

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Tributo- por Júlio Pissarra

Os homens não se medem aos palmos muito menos por aquilo que têm mas sim pelo que são, pelas atitudes que tomam, através dos exemplos que dão ou pelos belos momentos que proporcionam.
Uma refrescante pescaria no rio Côa, divertidos dias na Praia de Monte Gordo, animadas tardes de tertúlia no dia da Matança do Porco onde, com o seu subtil sentido de humor, mostrava a sua arte como contador de estórias, simples mas saborosos lanches em sua casa, pequenos gestos que demonstravam a amizade que tinha pelos meus pais ou o carinho com que presenteava a sua sobrinha Joana são apenas alguns dos muitos e inesquecíveis momentos e gestos aos quais tive o prazer de assistir protagonizados pelo meu Tio António Vicente.
Mas acima de tudo, meu Tio, era um homem honesto, sério, simpático, generoso e com um saber estar digno de realce!
Por isto e muito mais o seu desaparecimento físico é apenas um pormenor pois quem nos proporciona tanto e tão bom permanecerá, até que Deus assim o deseje, vivo e bem presente dentro de nós!
O meu Tio “Tó” Vicente é, DE FACTO, um Grande Homem!
                                                                  Júlio Manuel Antunes Pissarra

segunda-feira, 11 de abril de 2016

terça-feira, 5 de abril de 2016

Coisas da Vida

António Ladeiro Vicente faleceu dia 03 de Abril aos 81 anos. Natural de Miuzela do Côa, era casado em Vila Mendo com Emília de Jesus ( tia do Júlio Pissarra). Aos filhos, José Antunes Vicente e Paulo Antunes Vicente, e demais família os nossos pêsames.

sexta-feira, 1 de abril de 2016